terça-feira, 11 de março de 2014

Onde fica o clitóris?

O clitóris é essencial na hora do sexo. Seja estimulando-o com os dedinhos, seja com a língua, ele é importante para a mulher atingir o orgasmo. Mas nem todos, tanto homens como mulheres, sabem onde fica esse botãozinho mágico.

O clitóris fica localizado na parte superior da vulva. Na região inferior, temos buraquinho onde se coloca o pênis, um pouco acima já temos o canal da uretra, que é onde sai o xixi. Acima todos esses mora o grandioso clitóris. Ele pode estar encoberto pelos lábios vaginais, sendo necessário "desembrulhá-lo" um pouquinho, ou pode se mostrar mais visível. Ele é alongado e erétil, se assemelhando assim ao pênis, porém sua parte visível - e manuseável - é muito menor: entre 0,5 cm e 3,5 cm. Ele pode ter uma consistência mais molhinha e flexível, podendo tornar-se mais duro e rijo quando excitado.

Abaixo, uma imagem para vislumbrarem melhor a localização do nosso querido clit!


domingo, 9 de março de 2014

Qual o sabor do esperma?

Se tem algo que é dúvida para muitas pessoas é o sabor do esperma – ou, simplesmente, porra. Muitos homens sentem excitação em ejacular na boca das parceiras e parceiros mas, as vezes, a pessoa não se sente muito à vontade em saborear o líquido mágico. Afinal de contas, ele tem um sabor único?

A resposta é não. O esperma de cada homem apresenta um sabor diferente. Então, quem gosta de fazer dos pênis um sorvete pode ficar animado: a sorveteria tem muitos sabores. O problema é que nem sempre eles são agradáveis.

Diferenças no sabor do esperma


O gosto do esperma varia principalmente de acordo com a alimentação da pessoa. 90% do esperma é composto de líquidos seminais produzidos a partir de açúcares, proteínas, vitaminas e sais minerais. Assim, quem come muitas frituras e conservas pode ter o esperma de sabor um pouco mais forte.

Da mesma forma, pessoas que não comem carne tendem a ter um sabor mais suave, e o excesso de alimentos de sabores fortes, como o alho, pode ter influência negativa e acabar com aquele gostinho de quero mais (a não ser que você queira espantar algum vampiro). Fique atento se estiver programando lambuzar alguém por aí!

Dá pra mudar o sabor do esperma?


Se alimentos “ruins” podem deixar o líquido com sabor desagradável, é óbvio que caprichar na alimentação pode mudar este gosto. Não que você precise fazer uma dieta voltada exclusivamente para ter uma porra saborosa, o que seria um pouco estranho, mas não custa nada se preparar vez ou outra.


As dicas são simples. Primeiramente, beber muito líquido é bom para a saúde em geral, pois elimina as toxinas do corpo. Logo, o esperma também é beneficiado. Por último, abuse das frutas. Especialistas garantem que elas deixarão o esperma mais adocicado e agradável. As melhores são banana, mamão e abacaxi. 

Teste e comente aqui sobre os resultados!

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Se a mulher não geme, ela não está gostando?

O gemido é sempre um bom termômetro sexual. Uma mulher que grita, geme e vocifera frases de exaltação na hora é a certeza do sucesso de qualquer transa. Mas às vezes você está dando tudo de si, se matando de tanto entrar e sair, e a mulher não responde do jeito que se espera. Você quer ser um porn star, mas parece não ter uma parceira à sua altura.
Calma! Nem tudo é motivo para desespero. A falta de gemido não indica necessariamente que você está mandando mal, que a mulher não está curtindo, ou que você precisa arrumar uma nova parceira.

Cada um tem suas peculiaridades no tocante à relação sexual. Enquanto alguns e algumas gritam, outros outras são mais caladinhos. O diálogo é essencial. Se está com dúvidas de que ela está curtindo, converse com a mesma. Exatamente, você pode conversar durante o sexo, é permitido, mas não precisa ser um questionário formal. "Tá gostoso, delícia" é uma boa, porém arriscado: receber um NÃO pode levar a traumas complicados. Então, primeiro, talvez seja melhor perguntar o que ela deseja: "Como você quer dar pra mim?". Apresentar opções também é uma boa: "Quer ficar de 4 ou por cima?", "Quer que eu meta forte ou mais devagar?", "Onde quer que eu goze, safada?". Claro que cada caso é um caso, você pode trocar "safada" por "amor", depende do nível de relacionamento com a pessoa, do momento etc.

Chegando a um acordo sobre o modus operandi da transa, você pode fazer a sua avaliação de desempenho em tempo real. "Tá gostoso, tesão?": mesmo que não receba um sim, neste caso ela já pode mandar um "Vai mais devagar", ou "Aperta minha cintura com força" etc. Na cama, todos gostam de receber ordens.

Em muitos casos, a falta de grandes reações durante o intercurso sexual pode ser resultado da falta de intimidade. Nem toda transa precisa ser espetacular logo de primeira. Talvez na segunda, na terceira, a coisa se torne melhor, os dois se soltem mais e exibam em alto e bom som a sua satisfação.

Lembre-se do principal: o diálogo é o mais importante para se chegar a um prazer mútuo, seja antes, durante, ou depois da trepadinha! 

Lamber cu pode trazer riscos à saúde?

Você quer fazer um sexo anal gostoso e pretende lubrificar o anus de sua(seu) parceira(o) dando uma lambidinha básica? Ou quer simplesmente intensificar o sexo oral e explorar outras cavidades? O sexo oral anal, ou simplesmente lamber o cu, existe desde que o homem é homem. Muito antes do beijinho no ombro o chamado beijinho grego já alimentava e estimulava as relações sexuais mais diversas possíveis. Dizem que o homem primata, por sua posição curvada, com as mãos no chão, abusava muito dessa prática. Mas o que nos interessa é o homem atual: em tempos de DSTs, HIV, Escherichia coli, HPV, gripe suína, câncer de reto, salmonelas e diarreias, é seguro encostar a língua no cuzinho? 

Vamos com calma! O anus pode ser, de fato, um ambiente um tanto inóspito. A regra inicial de qualquer explorador anal é fazer um reconhecimento de campo. Quando você vai comer um cachorro-quente de rua, é bom antes dar uma averiguada superficial nas condições higiênicas do local, certo? Se ver uma barata andando pelas ervilhas, um ovo de codorna escuro, é bom se afastar e procurar outro vendedor. Com o cu é a mesma coisa. A olho nu muita coisa pode ser detectada, então verifique as condições locais: todo cu possui vestígios de fezes, mas você não precisa vê-los, correto? Coliformes fecais visíveis é sinal de que o lugar pode ser barra pesada. Feridas também não caem bem, podem indicar infecções e má higiene.

Ao se aproximar do amigão, dê uma cheiradinha. Nada explícito, por favor, como se fosse um cachorro de rua. Um cu limpo e saudável possui um cheiro bem aceitável. Se algo ruim emanar do grandioso túnel, é bom pegar o primeiro retorno que encontrar.

Colocar um dedinho também pode ser uma boa. Passe o dedo na boca, para ele entrar com mais facilidade, e enfie-o no buraquinho. Se ele voltar sujo, é sinal de que o canal está um pouco entupido e talvez seja bom manter distância.

Se tudo aparentar estar OK, talvez o sinal esteja de fato verde e então é só seguir em frente. Mas tome cuidado: ao lamber o cu, tente não ser muito invasivo. A língua deve passear em torno do anelzinho e, no máximo, entrar um pouco. Enfiar o linguão lá dentro talvez te ajude apenas a descobrir o que a pessoa jantou.

Após o ato, não deixe de escovar os dentes. Um enxaguante bucal também não é uma má ideia. Recomendação: evite que a pessoa perceba que você está limpando a boquinha por causa do cuzinho dela. Ela pode não ficar feliz.

Caso você tenha preguiça disso tudo ou seja uma pessoa muito precavida, ainda há solução, não se desespere. Você pode usar uma camisinha de língua. Isso mesmo, elas existem. E nós temos um artigo sobre elas! Confira aqui.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

"Tamanho do pênis é documento?" Tudo que você precisa saber sobre o assunto

Pequeno demais nao dá pressão, grosso demais machuca, grande e fino só cutuca mas não preenche... São várias as definições sobre tamanhos genitais que ouvimos por aí, ainda mais durante a adolescência, época de muitas incertezas. O tamanho, certamente, faz diferença, mas essa não precisa ser negativa. O importante é conhecer seu instrumento e otimizar seus poderes.

A medicina moderna oferece práticas e cirurgias para aumentar o pênis, mas isso só é usado em casos extremos, normalmente abaixo de 7cm. "São os primeiros 7cm que fazem a diferença na hora do sexo, o que vem depois disso as vezes nem costuma ser percebido", diz o ginecologista Roberto Frenchman, que acrescenta que um grande comprimento peniano está mais relacionado à questão visual e fetichista, principalmente na hora do sexo oral. "Tem mulheres que acham pênis grandes mais bonitos, mais vistosos, mas na hora da penetração a diferença costuma ser só psicológica", ressalta o especialista.

E a grossura, faz diferença? Ela é de fato mais relevante na penetração que o comprimento, mas também não é um fator totalmente determinante. Ter um pênis grosso não significa satisfação garantida, da mesma forma que um fino não significa desprazer. "Os mais grossos deverão ter mais cuidado no início da penetração, pois podem machucar, enquanto os mais finos terão mais liberdade e podem entrar com menos cerimônia", destaca Humbert Hammway, pesquisador e autor de do livro "O sexo no século XXI". Para o estudioso, o que mais atrapalha os donos de genitálias menores não é o tamanho do órgão em si, mas a baixa autoestima que este provoca.

Posições: Alguma posições favorecem tipos de pênis e é bom listar umas principais. De ladinho: Pênis de comprimento menor podem ter dificuldade de penetrar, podendo ficar apenas na entradinha e não satisfazer a parceira. Ao tentá-la, lembre-se de verificar se a sua mangueira chega até onde você quer molhar. É boa para os grandões, costuma oferecer menor dor. Frango assado: por ser uma posição que possibilita uma penetração mais profunda, um orgão sexual muito grande pode acabar ultrapassando a linha de chegada e machucar a parceira. Nesse caso, vá com cuidado, aumentando a velocidade gradualmente. os pequeninhos podem ser favorecidos nessa. De quatro: posição de entrada livre, grandes e pequenos podem entrar sem medo de serem barrados na porta.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Como fazer sexo anal pela primeira vez?

Introduzir a ideia do sexo anal na(o) parceira(o) nunca é simples. Devo tocar no assunto antes ou já saio colocando? Devo usar camisinha? Qual lubrificante é mais recomendado? Preciso estimular o ânus antes, igual a vagina? É pecado? Calma, calma, são muitas questões! Precisamos separar as mais relevantes e que farão a diferença na hora.
Se você tem vergonha de tocar no assunto com a pessoa, ou não tem uma relação estável, algumas atitudes durante o rala e rola podem levá-lo a saber o que a pessoa acha da coisa. A reação a um dedinho na região do ânus pode elucidar muita coisa: em primeiro lugar, não saia colocando o dedo lá dentro sem mais nem menos, e nem diga frases que você ouve nos filmes pornôs "Coé desse cuzinho, gata?!". Acaricie a região com um dos dedos, no máximo coloque-o na portinha e fique atento às possíveis reações.

Reações: Se receber um "oh yeah!", pode se animar, colocar a camiseta no garoto e entrar em campo; no caso de um "hummm", acompanhado de um sorriso, é o sinal para você continuar trabalhando lá, fazendo um reconhecimento de terreno, uma política de boa vizinhança e aguardar o green card, que virá na medida que o seu dedo avançar pelo corpo cavernoso - mas não se empolgue e não seja bruto, afinal, o cu não é seu; reações mais enigmáticas, que não deixam claro satisfação nem desinteresse, são as mais difíceis de serem interpretadas. Se estiver confiante no dia, prossiga tentando incrementar, estimulando o clitoris, dando beijos e deixando a coisa com menos cara de colonoscopia. Se sentir uma melhora, talvez seja a hora de seguir os passos da reação anterior, mas se prosseguir uma hostilidade, talvez a área de serviço esteja realmente inacessível hoje; por último, caso a reação seja um "ai, cacete!" ou "que porra é essa?!", disfarce, diga que errou o lugar, que está sem óculos e fique no básico por esta noite.

Preliminares anais: Bem, dedo lá dentro, sinal verde, rostos alegres, já posso explorar a caverna? Não, acalme-se, pois temos uma palavra para você: lubrificantes! Estamos partindo do princípio que a sua parceira não é uma porn star e tem um ânus de diâmetro normal, logo ela sentirá dor nesse processo. Você pode usar qualquer lubrificante feito à base de água, só não tente incrementar com produtos domésticos, como manteiga ou óleo de cozinha - isso poderá fazer mal à saúde da pessoa e, afinal de contas, você está querendo fazer sexo e não fritar um bife.
Lubrifique seu dedo inteiro e penetro-o no ânus da pessoa. Veja se ela sentiu dor ou prazer - os dois podem vir juntos, mas o prazer deve prevalecer. Se a dor estiver persistindo, vai indo com calma, até ela se acostumar. Depois que o terreno estiver bem arado e pronto para o plantio, chegou a hora de lubrificar do pênis entrar em ação!

Penentrando no ânus: em primeiro lugar, você deverá escolher uma posição. De quatro e de lado são recomendáveis para as marinheiras de primeira viagem, pois não contam com o peso do corpo do parceiro, como na de bruços, logo doerão menos. Após decidir, coloque a camisinha (sexo anal desprotegido é o mais contagioso para AIDS e DSTs!) e acrescente lubrificante nela, mesmo que já seja lubrificada (KY é recomendado).
Após deixar seu colegão bem deslizante, insira apenas a cabecinha dele na entrada do ânus - essa é a hora de controlar seu tesão, uma investida ansiosa pode jogar tudo por água abaixo. Faça leves movimentos de vai-e-vem com o corpo e vá penetrando aos poucos, na medida em que sentir o ânus mais hospitaleiro e o caminho for se expandindo para você. Um diálogo nessa hora é essencial, perguntar se está doendo não vai tirar o clima da situação, pelo contrário, deixará vocês dois mais à vontade. Só aumente a velocidade caso o caminho esteja ficando menos apertado e sentir que ela está gostando e não sentindo dor. Há uma máxima para o sexo anal, que é pensar: "ah, se fosse o meu!". Não é bom ter isso em mente.

terça-feira, 12 de abril de 2011

Dicas para fazer sexo de pé

Todo mundo já passou por isso. É aquela situação: você está num local ermo com alguém e bate aquela vontade de afogar um ganso básico ali mesmo. Não tem jeito de arrumar outro lugar, até porque, já foi duro achar esse cantinho onde ninguém visse a intimidade. E por falar em duro, não dá pra perder tempo! Se o momento é de necessidade, o negócio é transar em pé. Por isso trazemos hoje dicas para facilitar este tipo de transa. Mãos a obra.

Requisitos básicos para facilitar o ato:

1 – Preservativo: Sempre é bom lembrar!

2 – Saia: Não é pra você sair de lugar de nenhum. Pense bem: nada facilita mais uma transa rápida, principalmente em pé, do que a mulher estar usando saia. Tanto pela facilidade e pela rapidez quanto para a timidez que pode rolar: se estiver de calça, a mulher vai provavelmente precisar abaixá-la, e algumas podem ficar encabuladas para fazer isso. Até as saias mais apertadas, apesar de não serem as ideais, funcionam bem: é só levantar um pouco a cintura.

3 – Panturrilha resistente: Para que a movimentação no sexo em pé um dos músculos mais exigidos é a panturrilha, gastrocnêmio, ou popularmente “batata da perna”. Pela diferença de altura do casal pode ser preciso ficar na ponta dos pés, e pra fazer o movimento de vai-e-vem, também o movimento alternado de ponta de pés é essencial. Por isso, pode começar a malhar a panturrilha.

4 – Braços fortes: Uma coisa que o homem precisa ter nesse momento é um bíceps forte. Não precisa ser um marombeiro tomador de suplemento, mas a resistência nos braços é fundamental nas posições que vamos indicar agora, talvez até mais importante que as pernas.

Posições:

1 – Cavalo com a pata quebrada: é a mais usada. Também conhecida como canguru-perneta. O homem de frente para a mulher levanta e segura uma das pernas da parceira para realizar o ato. Por isso disse antes que é necessário ter resistência no braço. Se ela tiver um local para apoiar um dos pés, fica desnecessário do rapaz segurá-la, mas como nem todo mundo anda por aí com uma banqueta para auxiliar no sexo em pé, são as forças do braço que costumam sustentar a situação.

2 – De costas: simples assim. A mulher de costas pro homem. Pras coisas, digamos, se encaixarem, é necessário que ela dê uma curvada para frente. Depois que tudo estiver no local correto, pode-se ficar mais de pé. Um lugar para apoiar deixa a posição ideal, com a mulher se posicionando como se fosse ser revistada por um policial. Só que no caso, o cacetete é outro.

3 – Frango assado em pé: é uma versão do tradicional fried chicken só que de pé, com o homem segurando as duas pernas da mulher com os braços. Exige força e destreza. Uma parede para que ela apóie as costas faz com que precise-se fazer menor força.

4 – 69:
uma de nível mais avançado. É preciso principalmente ter equilíbrio para realizar-se um 69 em pé. E também que a mulher se sinta a vontade, já que ela vai ficar de cabeça pra baixo. Tome cuidado com essa posição, caso o casal tome um tombo, a coisa pode ficar feia. Não vá com sede ao pote achando que você é um porn actor.

Esperamos que as dicas ajudem. Bom divertimento.